sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Denunciado por corrupção em Caicó é nomeado chefe na Secretaria de Obras da Prefeitura de Natal

Um dos denunciados pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte na 'Operação Tubérculo’ – que investiga um esquema de fraudes no setor de iluminação pública do município de Caicó, na região Seridó potiguar – foi contratado pela Prefeitura de Natal. Abdon Augusto Maynard Júnior, que responde na Justiça pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro, dispensa indevida de licitação e associação criminosa, agora é chefe da assessoria técnica da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semov).
A nomeação foi publicada nesta semana no Diário Oficial do Município de Natal, e foi assinada pelo prefeito Álvaro Dias e pela secretária de Administração Adamires França.
Procurada para falar sobre a nomeação, a Prefeitura de Natal ainda não se manifestou. O G1 mandou mensagem para o advogado de Abdon Júnior, e ainda aguarda retorno.
Abdon Augusto Maynard Júnior foi exonerado do cargo de secretário de Infraestrutura e Serviços Urbanos de Caicó por determinação da Justiça. Isso aconteceu bem antes, no dia 4 de agosto de 2017, ainda durante a Operação Blackout, também realizada pelo Ministério Público. À época, o MP afirmou que o então secretário havia sido cooptado pela associação criminosa antes mesmo de assumir a pasta.
Operação Tubérculo
A Operação Tubérculo foi deflagrada no dia 14 de agosto deste ano e cumpriu três mandados de prisão e outros seis de busca e apreensão em Caicó e Natal. Foram presos e também afastados de seus cargos o prefeito Robson de Araújo (PSDB), mais conhecido como 'Batata', e o vereador Raimundo Inácio Filho (MDB), o 'Lobão'. A operação ainda prendeu o lobista Edvaldo Pessoa de Farias, que cumpriu prisão temporária. Batata e Lobão foram soltos no dia 10 de outubro, por determinação da Justiça.
Três dias depois, o MP denunciou outras 7 pessoas por envolvimento nas fraudes. Entre elas, Abdon Júnior.
Segundo o MP, a Operação Tubérculo foi um desdobramento das operações Cidade Luz (deflagrada em julho de 2017 e que aponta um esquema criminoso na Secretaria Municipal de Serviços Urbanos de Natal através da constituição de cartel entre empresas pernambucanas que prestavam serviços de iluminação pública na cidade) e Blackout(também realizada ano passado e que apura superfaturamento e pagamento de propina para manutenção do contrato de iluminação pública em Caicó).
G1/RN