quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

ESTUDANTE DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE CURRAIS NOVOS VENCE ELEIÇÃO DO PARLAMENTO JUVENIL DO MERCOSUL

Francisco Fernando Café, estudante da Escola Estadual Tristão de Barros, em Currais Novos, obteve o maior número de votos para o seu projeto em fase final do Parlamento Juvenil do Mercosul (PJM) e representará o Rio Grande do Norte de 2018 a 2020 como jovem parlamentar.
Fernando tem 16 anos e cursa a primeira série do ensino médio. Para ele, a possibilidade de ajudar outros estudantes através do seu projeto, é gratificante, “Independente do resultado da votação, a vitória é pessoal, é um crescimento enquanto aluno”, afirma.
A seleção aconteceu por meio da submissão de um projeto por aluno com orientação de um professor responsável. Fernando elaborou o “Idiomas Sem Fronteiras”, projeto que possibilitará a expansão de uma língua estrangeira nas escolas municipais de Currais Novos, através do sistema de monitorias, em que alunos ensinarão a outros com um aprofundamento no que se refere a comunicação linguística dos países que nos cercam. O projeto obteve 301 votos válidos.
Para a professora de espanhol e orientadora do projeto, Aline Sousa, o sentimento é de alegria e satisfação, “esse resultado é a prova de que o trabalho realizado em sala de aula é sólido e promove mudanças significativas na vida de nossos estudantes”, disse. Ela ainda se sente orgulhosa com o projeto, por que o principal objetivo é ajudar outros estudantes e o define como: “autônomo, competente e solidário”.
O Parlamento Juvenil do Mercosul é uma iniciativa do Setor Educacional do Mercosul (SEM) que proporciona aos jovens estudantes de nível médio público dos países membros e associados do bloco, um espaço de encontro e diálogo que incentive o protagonismo juvenil para geração de propostas sobre temáticas de interesse comum.
Em suas diferentes fases e instâncias, o PJM significa uma experiência formativa para os jovens envolvidos. Os participantes, além de ampliar seus conhecimentos, vivenciam o funcionamento das instituições democráticas e participam de debates construtivos que lhes permitem fortalecer a capacidade para expressar suas ideias, bem como desenvolver habilidades de reflexão crítica para formulação de propostas que reflitam suas necessidades.