sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Presos suspeitos do assassinato de sargento do Corpo de Bombeiros em João Pessoa

Foram presos na noite desta quinta-feira (30) os três suspeitos de atuar no assassinato do sargento do Corpo de Bombeiros Josélio de Souza Leite, de 52 anos, dentro do batalhão de Mangabeira, na Zona Sul de João Pessoa. Os detidos foram encaminhados para a Central de Polícia Civil da Capital, no bairro do Geisel, também na Zona Sul.
O primeiro suspeito preso, Natan Afonso de Carvalho, de 18 anos, foi localizado no bairro do Valentina, Zona Sul, durante as buscas que estavam sendo realizadas pela polícia desde o momento do crime. Ele teria sido o condutor da motocicleta utilizada pelos bandidos na ação. A moto e um revólver usados no crime também foram apreendidos. Ele confessou a participação no assassinato e informou o nome do outro suspeito, Jonas Ribeiro Sobrinho, de 20 anos.
Natan explicou à polícia que foi convidado a participar do crime por Jonas, que lhe prometeu pagar a quantia de R$ 1 mil para conduzir uma moto até ao quartel do Corpo de Bombeiros, onde iria roubar uma arma.
Jonas Ribeiro, suspeito de ser o autor dos disparos que tiraram a vida do sargento, foi preso no fim da noite desta quinta, na casa da namorada dele, no bairro Quadramares, na Zona Leste da Capital, onde, conforme relatou a Polícia Militar, também foi encontrado o revólver usado no crime. O detido já cumpre pena por roubo no regime aberto e havia sido preso na 31ª edição da operação Impacto, na última sexta-feira (24), com duas porções de maconha, mas acabou liberado após a assinatura de um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).
Também foi preso Thiago Ribeiro da Cunha, de 32 anos, que é apenado e cumpre pena de prestação de serviço comunitário no quartel do Corpo de Bombeiros, em Mangabeira, mesmo local onde ocorreu o fato delituoso. Foi ele quem deu informações sobre a rotina do sargento e do trabalho prestado por ele na guarita da unidade militar.
Entenda o caso
No fim da manhã desta quinta-feira, uma dupla armada chegou de moto à portaria do batalhão e tentou roubar uma arma do militar, que reagiu e foi baleado no rosto, morrendo ainda no local.
Em virtude do roubo da arma de fogo do sargento, uma pistola de calibre 40, de propriedade do governo do Estado, o fato está sendo investigado pela Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio.
Câmeras de segurança registraram imagens do crime e são usadas nas investigações.
PORTAL CORREIO




NOTA DE ESCLARECIMENTO