sexta-feira, 25 de maio de 2018

Justiça manda prender empresário suspeito de estupro de vulnerável em Mossoró

Na noite desta quinta feira 24 de maio de 2018, a Dra. Cristiane Magalhães,delegada titular da Delegacia da Mulher, reuniu a imprensa de Mossoró, para dá detalhes de um caso de estupro praticado contra uma adolescente de 16, fato ocorrido na madrugada do dia 19, em um apartamento pertencente à um empresário no ramo de Churrascaria em Mossoró. Dra. Cristiane expediu mandado de prisão em desfavor de Zenilson da Silva Menezes. 
Ele que é proprietário do Fogo e Brasa como mostra o mandado segundo a delegada, praticou crime de estupro de vulnerável, e ao juntar provas ela resolveu expedir o mandado de prisão contra o acusado. 
Perguntado se as informações que ele teria print da conversa com a adolescente que teria aceitado o convite a delegada foi firme em dizer. 
" A adolescente foi brutalmente abusada sexualmente, ela poderia ter aceitado quantas vezes quisesse, porém da maneira que foi praticado o ato, contra adolescente indefesa, totalmente embriagada, sem saber nem o que estava acontecendo com ela. Crime sim. 
O problema que a maioria das mulheres não costumam nesses casos fazer denúncia. Tenho informação que ele costuma fazer isso, porém desta vez teve uma família que para proteger sua filha resolveu denunciar. 
Negociei a apresentação dele até as 18hs de hoje, e como não compareceu ele agora é considerado foragido da Justiça.Realizamos diligências para prendê-lo e não logramos êxito. 
Pedimos a população que se o virem ligue para o 190, ou para a Delegacia da Mulher pelo telefone(84) 3315 3536.Quero ressaltar que o acusado é Bacharel de Direito, porém não está escrito na OAB (Ordens dos Advogados do Brasil). Inclusive ele tem outros processos na Delegacia de Defraudações.Como ele tem nível superior, pedi para colocar ele em uma cela especial na Cadeia Pública. Para ele seria até melhor mesmo se apresentar. Finalizou a delegada. A adolescente realizou exames no ITEP e Dr. Jerônimo informou que a brutalidade praticada contra a jovem foi um absurdo, de uma covardia tremenda.
PASSANDO NA HORA