segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Médicos agendam novo protesto em frente à Assembleia para terça-feira

AGORA RN
O Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed/RN) agendou para às 9h da próxima terça-feira, 16, uma manifestação em frente à Assembleia Legislativa contra o pacote de medidas de ajuste fiscal que deverá começar a ser votado nesta data pelos deputados estaduais em convocação extraordinária.
De acordo com a categoria, o pacote proposto pelo Governo do Estado “ameaça o serviço público e corta direitos dos trabalhadores”. Entre as medidas criticadas pelos médicos, está o aumento da alíquota de contribuição previdenciária. Pela proposta do governo, a taxa subirá dos atuais 11% para 14%.
O protesto também será contra os atrasos salariais. O governo ainda não pagou o salário de dezembro e décimo terceiro e sequer anunciou quando efetuará os depósitos. Os médicos repudiam também a possibilidade de os inativos e pensionistas ficarem de fora dos próximos calendários.
“Será um dia muito importante. Lembrem-se que estamos em greve. Então é para manter apenas o atendimento mínimo das emergências e todos se juntarem a essa grande manifestação”, convoca Geraldo Ferreira, presidente do Sinmed/RN. A categoria está em greve desde novembro.
MANIFESTAÇÃO
Na última quinta-feira, 11, quando foi realizada a primeira sessão da convocação extraordinária da Assembleia para analisar as medidas enviadas pelo governo estadual, cerca de 150 manifestantes (dado não oficial), incluindo médicos, participaram de um protesto em frente à casa.
Na ocasião, houve empurra-empurra, e deputados foram hostilizados por manifestantes. A Polícia Militar, a Força Nacional e homens das Forças Armadas que cumpriam diligências da operação Potiguar III foram acionados, mas nenhuma ocorrência grave foi registrada.
Com o protesto do lado de fora, nenhuma medida foi votada pelos deputados, que remarcaram o início da discussão sobre os projetos para a próxima terça-feira. A Assembleia foi convocada pelo governador Robinson Faria (PSD) para votar, ao todo, 18 projetos.