terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Governador do RN ainda não sabe quando nem quanto vai receber de ajuda financeira da União

Robinson Faria, governador do Rio Grande do Norte (Foto: Thyago Macedo/G1)
G1/RN
O governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), ainda não tem definidos a data para o recebimento da ajuda financeira que ele foi buscar em Brasília junto ao governo federal nem o valor que o estado deve receber para poder pôr em dia o pagamento dos salários atrasados dos servidores públicos.
Nesta terça (19), em nota, Robinson disse que estava no Distrito Federal trabalhando nas providências legais para conseguir a liberação dos recursos o mais rápido possível. “Vim para Brasília e, ontem mesmo, fui recebido pelo presidente Temer e pelo ministro do Planejamento, Diogo Oliveira, para definições de formato e datas para a liberação dos recursos – da ajuda federal que estamos, com muita luta, conseguindo viabilizar neste final de ano”, explicou.
E acrescentou: “Hoje, estamos aqui trabalhando nas providências legais para que essa liberação ocorra o mais rápido possível. O ministro Diogo e o presidente Temer marcaram para a próxima segunda-feira (25) a publicação da medida provisória com a referida liberação. Estamos tentando encurtar esse prazo”.
Por fim, o governador destacou: “Estamos juntos, lado a lado, nessa batalha. Estou focado em todas as medidas necessárias para que nada impeça que esses recursos cheguem ao nosso estado e às contas dos servidores, o mais rápido possível”.
Socorro de R$ 965 milhões
O Tribunal de Contas da União (TCU) liberou o envio de recursos do Governo Federal ao Rio Grande do Norte com o objetivo de custear as despesas com a folha de pessoal do Estado, que estão em atraso. O Governo do RN pediu socorro financeiro de R$ 965 milhões ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Contudo, a pasta vinculada à União não tem a obrigação de mandar para o estado potiguar o total desse dinheiro.
Pressão
Robinson Faria está pressionado. Ele se reuniu nesta segunda-feira (18) com representantes dos sindicatos dos servidores, mas também não deu previsão para honrar com as folhas de novembro, dezembro e com o 13º salário. Na saída, o carro do chefe do Executivo foi apedrejado pelos funcionários públicos, que chegaram a entrar em conflito com seguranças.
PM aquartelada
Sem receber salários, e sem qualquer definição de um calendário de quando o pagamento será feito, a Polícia Militar amanheceu aquartelada nesta terça-feira (19). Na capital, em cidades da Grande Natal e também em cidades do interior, pelo menos 60% da frota ficou aquartelada e não saiu às ruas. O protesto foi batizado de 'Segurança com Segurança'. Associações de praças explicaram que a medida é para dar segurança aos policiais e bombeiros militares que, sem receber salários e sem condições estruturais de trabalho, se negaram a sair em patrulhamento.
Atendimentos suspensos
Também por causa dos salários atrasados, servidores da saúde suspenderam os atendimentos nos centros cirúrgicos dos hospitais Ruy Pereira e Walfredo Gurgel, ambos na Zona Leste de Natal. A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) confirmou que tem conhecimento das paralisações e que vai trabalhar para regularizar os salários dos servidores.