quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Em noite de medo, lojas e mercados são arrombados em Natal

PORTAL BO
Cerca de cinco comércios e lojas foram arrombados na madrugada desta quinta-feira (21), em bairros como Quintas, centro comercial do Alecrim e Petrópolis. Os criminosos agiram livremente usando até veículos para violar as portas dos estabelecimentos; Dezenas de produtos foram furtados.
Com a operação Segurança com Segurança as vítimas não puderam contar com diligências da Polícia Militar que foi acionada através do número de emergência 190. Os autores dos saques não foram identificados.








Os principais hospitais do Rio Grande do Norte também tiveram serviços prejudicados pela falta de profissionais. Os servidores da Saúde estão em greve, porém, de acordo com o sindicato que representa a categoria, as faltas aconteceram porque os servidores estão sem condições de, sequer, pagar passagens de ônibus. O centro cirurgico do Hospital Walfredo Gurgel ficou fechado.


Os arrombamentos aos estabelecimentos aconteceram por volta das 4h nos bairros do Alecrim e das Quintas. De acordo com testemunhas, os bandidos usaram carros para arrombar as portas das lojas e atiraram para cima para evitar aproximação de qualquer pessoa.


Entre os estabelecimentos saqueados, está um supermercado, uma loja de eletrodoméstico e uma de autopeças. Nesta última, o prejuízo foi superior a R$ 50 mil, segundo o proprietário.


Uma loja de roupas também teve vidraças quebradas no CCAB Petrópolis, em uma região nobre da cidade.


Nesta quarta (20), a Polícia Civil e os agentes penitenciários aderiram ao movimento. Os agentes, delegados e escrivães da polícia estão trabalhando em regime de plantão. Os agentes penitenciários entraram em greve e os presídios estão sendo operados com efetivo reduzido, sem visitas e banhos de sol dos presos.




Diante da paralisação de parte dos servidores da segurança pública do Rio Grande do Norte, o Governo do Estado solicitou ao Governo Federal, nesta quarta-feira (20), um incremento no número de policiais da Força Nacional e o apoio das Forças Armadas para atuar no território potiguar.


O governador Robinson Faria foi até Brasília para tentar, junto à União, conseguir dinheiro para pagar os salários de novembro e o 13º salário dos servidores do Estado. Contudo não há confirmação sobre quando o monte estará disponível, bem como não se sabe quanto de dinheiro será disponibilizado para o RN.




m policiais nas ruas de Natal, pelo menos cinco lojas foram arrombadas e tiveram produtos roubados na madrugada desta quinta-feira (21) nas zonas Oeste e Leste da capital potiguar. Ninguém foi preso. Segundo as delegacias de plantão, também foram registrados 36 roubos a veículos na região metropolitana da capital, entre a noite e a madrugada.




Desde a terça-feira (19), a maior parte do efetivo da Polícia Militar do Rio Grande do Norte não tem saído para trabalhar nas ruas. Trata-se de um protesto dos PMs, por causa dos atrasos salariais que vêm acontecendo há meses no estado.




Os principais hospitais do Rio Grande do Norte também tiveram serviços prejudicados pela falta de profissionais. Os servidores da Saúde estão em greve, porém, de acordo com o sindicato que representa a categoria, as faltas aconteceram porque os servidores estão sem condições de, sequer, pagar passagens de ônibus. O centro cirurgico do Hospital Walfredo Gurgel ficou fechado.


Os arrombamentos aos estabelecimentos aconteceram por volta das 4h nos bairros do Alecrim e das Quintas. De acordo com testemunhas, os bandidos usaram carros para arrombar as portas das lojas e atiraram para cima para evitar aproximação de qualquer pessoa.


Entre os estabelecimentos saqueados, está um supermercado, uma loja de eletrodoméstico e uma de autopeças. Nesta última, o prejuízo foi superior a R$ 50 mil, segundo o proprietário.



Uma loja de roupas também teve vidraças quebradas no CCAB Petrópolis, em uma região nobre da cidade.


Nesta quarta (20), a Polícia Civil e os agentes penitenciários aderiram ao movimento. Os agentes, delegados e escrivães da polícia estão trabalhando em regime de plantão. Os agentes penitenciários entraram em greve e os presídios estão sendo operados com efetivo reduzido, sem visitas e banhos de sol dos presos.
Diante da paralisação de parte dos servidores da segurança pública do Rio Grande do Norte, o Governo do Estado solicitou ao Governo Federal, nesta quarta-feira (20), um incremento no número de policiais da Força Nacional e o apoio das Forças Armadas para atuar no território potiguar.
O governador Robinson Faria foi até Brasília para tentar, junto à União, conseguir dinheiro para pagar os salários de novembro e o 13º salário dos servidores do Estado. Contudo não há confirmação sobre quando o monte estará disponível, bem como não se sabe quanto de dinheiro será disponibilizado para o RN.