quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Polícia acha ossada e prende trio por morte de militar do Exército no RN

Sargento do Exército João Augusto Alves  (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
Carlos Noberto Holtz (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
CARLOS ALBERTO HOLTZ
G1/RN
A Polícia Civil do Rio Grande do Norte anunciou que conseguiu elucidar o caso do desaparecimento do sargento do Exército João Augusto Alves, de 56 anos, sumido há 4 anos. “O militar foi assassinado e enterrado. Nesta quarta (16), prendemos três pessoas que nos levaram a uma granja onde encontramos parte de uma ossada. Também descobrimos que os suspeitos falsificaram uma procuração e venderam uma casa e o carro da vítima”, afirmou o delegado Raimundo Rolim.
Os restos mortais de Holtz foram encontrados em janeiro de 2013. Ele havia sumido em outubro de 2012. A ossada estava em uma granja na zona rural de Macaíba, município da Grande Natal. “A poucos metros de onde encontramos a ossada do sargento João Augusto”, acrescentou Rolim.
Ainda de acordo com o delegado, as investigações revelaram que Francisco Glayson Agostinho e uma irmã dele venderam a casa e o carro do sargento logo após o desaparecimento dele, ainda no final de 2012. Já em 2015, a mulher foi intimada para depor e afirmou que teria comprado os bens de um corretor de imóveis e que, em março de 2013, revendido a residência para uma outra pessoa.
“Após um segundo depoimento, a irmã de Francisco confessou que a compra e venda da casa de João Augusto foi simulada e que ela teria emprestado seu nome para vender a residência, em março de 2013, a pedido de seu irmão. Nesta quarta, os irmãos presos foram interrogados e revelaram que o sargento foi assassinado no final de novembro de 2012, e que logo após o fato teriam vendido sua casa e seu automóvel, falsificando procurações e fingindo ser a vítima”, relatou Rolim.
Diante das informações, o delegado acrescentou que equipes da Decap realizaram buscas no local indicado pelos suspeitos e conseguiram encontrar parte de uma ossada. O Instituto Técnico de Perícia (Itep) esteve na granja e recolheu o material para análise.
Dificuldades
“Por conta do desaparecimento do Sargento, logo após um ano de sumido o Exército cortou a pensão que a primeira mulher recebia. Agora, ela e os filhos passam por sérias dificuldades. Inclusive, uma filha do casal tem necessidades especiais e também sofre sem assistência médica. O militar ainda deixou uma filha de 9 meses, de outro relacionamento, que também necessita de alimentos”, ressaltou Rolim.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Homem foi atingido por disparos de arma de fogo em Caicó

 JAIR SAMPAIO Por volta 12h25min deste Domingo (30), foi registrado tentativa de homicídio em um bar em frente ao Hospital Regional do S...