quarta-feira, 23 de novembro de 2016

'Foi pedido de socorro', diz preso que ameaçou explodir carro-bomba no RN

Jessé Elias de Souza, comerciante (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)
G1/RN
O comerciante preso na manhã desta terça-feira (22) suspeito de ameaçar construir um carro-bomba para explodi-lo durante a procissão da padroeira de Macaíba, município da Grande Natal, admitiu que precisa de tratamento psicológico. "Foi um pedido de socorro", disse Jessé Elias de Souza, de 36 anos (veja vídeo acima). Ele também revelou que sofre de depressão e que fez a ameaça para chamar a atenção do poder público.
Jessé foi indiciado em artigos que o enquadram na nova Lei Antiterrorismo e permanece à disposição da Justiça.
"Não podia esperar pra saber se ele é doido, se estava falando sério ou se estava apenas fazendo graça. Por isso, a prisão dele foi necessária. O padre ficou preocupado com as coisas que ele escreveu e a população ficou amedrontada. Se ficar comprovado que ele tem problemas psicológicos, vai ter que se tratar. Caso contrário, vai ter que arrumar um bom advogado", comentou o delegado Normando Feitosa.
Ameaças públicas
O próprio comerciante admite as postagens. Primeiro, ele ‘ensina’ a construir o carro-bomba (por questão de segurança, o G1 decidiu não reproduzir o que foi escrito). Depois, em meio aos comentários, o próprio Jessé insinua detonar os explosivos em meio ao maior evento religioso do município. “Dia 8/12/2016 e a procissão da padroeira da cidade são mais de 5 mil pessoas e um dia perfeito” (SIC), escreveu. Em outra postagem, acrescentou: “O meu nome vai fica no historio do mundo vai ser legal” (SIC).

As publicações geraram comentários. Neles, alguns tentam convencer o suspeito a desistir do suposto plano: “Deixa de besteira. Você é um cara do bem”, disse um homem. Uma mulher, apela para a fé: “Misericórdia! O q é isso? Deus tem um propósito na sua vida!”.






Nenhum comentário:

Postar um comentário