quinta-feira, 9 de junho de 2016

Militares lotam assembleia em Mossoró, promovem ato público e cobram apoio para categoria

Na manhã desta quarta (08) centenas de praças da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Norte atenderam a convocação das entidades representativas e lotaram o auditório do hotel Villa Oeste em Mossoró, aonde transcorreu assembleia geral unificada. Na pauta da categoria estavam velhas demandas como maior transparência nas diárias e fim das escalas extras compulsórias registradas a cada grande evento, sobretudo na região oeste do estado. Também foi discutido o tratamento dispensado às praças no 12ºBPM e a denúncia encaminhada ao MP acerca de supostas irregularidades no projeto Base Integrada Cidadã naquela unidade. Durante a assembleia ficou deliberada a realização de ato público na Câmara Municipal de Mossoró reivindicando o apoio político dos vereadores, o que ocorreu. A casa legislativa recepcionou a categoria e uma comissão de militares participou de reunião na sala da presidência. Na ocasião ficou definida a elaboração de um documento contendo as reivindicações a serem apresentadas ainda esta semana na assembleia legislativa e ao executivo estadual dos quais se esperam ações que resolvam tão grave problema. O Soldado Moésio (ABM) aproveitou a ocasião para ressaltar a falta de estrutura no Corpo de Bombeiros aonde faltam equipamentos básicos para trabalharem. Quem também participou da mobilização foi um grupo de ex-PMs que lutam por anistia após serem injustamente excluídos nas décadas de 80 e 90, os quais também buscam apoio dos deputados. Para o Sargento Queiroz (ACS) a desmotivação dos PMs ocorre em razão do valor insignificante da diária e a incerteza do recebimento. O Soldado Tony, presidente da APRAM, diz que a volta das escalas compulsórias representa um retrocesso que deixaram os militares totalmente desmotivados. “Os direitos dos policiais estão sendo tolhidos e a sociedade precisa estar do nosso lado pois ela não merece ser atendida por profissionais sobrecarregados”, afirmou o dirigente. Já o Subtenente Eliabe Marques, presidente da ASSPMBM/RN e Vice Presidente da ANASPRA, revela que o cenário nos remete aos tempos de escravidão. “Defendemos mais humanização nos quartéis e aguardamos respostas na investigação relacionada as graves denúncias envolvendo recursos públicos no 12ºBPM”, declarou.
Assessoria de Comunicação.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

PM prende foragido da justiça de Pau dos Ferros acusado de praticar arrastões em Mossoró

FIM DA LINHA Policiais militares da Rádio Patrulha (RP) 1202 12º BPM, composta pelo Cb P. Silva e o Sd Alan, capturaram na manhã dest...