sexta-feira, 17 de junho de 2016

Acusado de matar policial civil em Natal foge de quartel militar da PM

ACUSADO

G1/RN
O policial civil Tibério Vinícius Mendes de França, acusado pela morte do também policial civil Iriano Serafim Feitosa, assassinado no dia 3 de fevereiro deste ano no conjunto Cidade Satélite, na Zona Sul de Natal, fugiu da prisão na manhã desta sexta-feira (17). A prisão fica dentro do mesmo terreno onde funciona o quartel do Bope, a cavalaria e o canil da PM, na Zona Norte da cidade. A Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Norte (Sesed) informou que está apurando a fuga e que o policial é considerado fugitivo da Justiça.
A fuga
Ainda de acordo com a Sesed, Tibério foi visto pela última vez durante uma contagem de presos feita pela manhã. Já numa segunda contagem, próximo ao horário do almoço, ele não foi mais encontrado. A secretaria informou também que uma sindicância será instaurada para apurar as devidas responsabilidades e que buscas, com apoio da Polícia Civil estão sendo feitas na tentativa de localizar o policial fugitivo.
Tibério estava preso desde o dia 22 de março. Em audiência de instrução e julgamento marcada para esta sexta-feira, o juiz Ricardo Procópio Bandeira de Melo, da 3º Vara Criminal, deveria decidir se o policial iria ou não a júri popular. O policial também é apontado pela Polícia Federal como suspeito de envolvimento com grupos de extermínio, investigação que faz parte da operação Thanatus, deflagrada em dezembro do ano passado.
Relembre o caso
Esposa do policial, a advogada Ana Paula Nelson contou que estava no carro no momento do atentado. "Acho que o crime não foi planejado para ser ali, daquela forma. Esse policial se aproveitou de um descuido do meu marido. Ele se aproximou sozinho em uma moto e, sem parar, efetuou vários disparos. Como os tiros foram do lado onde estava o Iriano, ele foi atingido mais vezes e eu acabei sendo baleada duas vezes", lembrou.
Câmeras de segurança registraram a execução. O vídeo (veja acima) mostra o momento em que o o carro de Iriano reduz a velocidade para passar por uma lombada. Um motociclista fica ao lado do carro e efetua vários disparos de arma de fogo. Iriano morreu minutos após dar entrada no pronoto-socorro Clóvis Sarinho, em Natal. A advogada Ana Paula Nelson, viúva de Iriano, foi atingida por dois tiros - um na perna e outro no quadril.





Nenhum comentário:

Postar um comentário