sexta-feira, 8 de abril de 2016

Suspeito de pistolagem é morto em confronto com a polícia

PORTAL BO
Um homem trocou tiros com a polícia e foi baleado em Apodi, por volta de 12h30min de hoje em Apodi. Ricardo Holanda de Paiva, 32 anos, natural de Almino Afonso, no Médio Oeste do Rio Grande do Norte, foi atingido com disparos e acabou não resistindo.
A operação foi coordenada pelo delegado de Apodi, Renato da Silva Oliveira, e pelo capitão Inácio Brilhante Araújo Filho, com apoio do comandante da 2ª Companhia de Policia Militar de Apodi, tenente Júlio Batista e policiais do Grupo Tático Operacional (GTO) de Apodi e Alexandria.
Ricardo era natural de Almino Afonso, mas estava morando em Apodi. O mesmo vinha sendo investigado pela prática de crimes de pistolagem em vários municípios do Grande Oeste Potiguar e Alto Sertão Paraibano.
De acordo com o capitão Inácio Brilhante, Ricardo Holanda, era investigado por envolvimento em várias mortes, inclusive do vereador de Patu, Alexandrino Suassuna Barreto Filho, do irmão do vereador, o mecânico Paulo Henrique Suassuna Barreto, conhecido por Fufuca, de 44 anos, do agropecuarista Ademar Taveira, da cidade de Alexandria no Alto Oeste, de um triplo homicídio em um bar no município paraibano de Brejo dos Santos/PB, e outro homicídio entre os municípios de João Dias e Catolé do Rocha.
Segundo o delegado Renato Oliveira, os policiais foram até a casa do suspeito averiguar uma denuncia de que ele teria matado uma pessoa em Frutuoso Gomes, mas Ricardo Holanda teria reagido e começou a atirar contra os militares. Houve troca de tiros e o suspeito acabou baleado.
O suspeito foi socorrido pelos policiais do Grupo Tático Operacional (GTO) de Alexandria e Apodi, levado para o Hospital Regional Hélio Morais Marinho em Apodi, mas morreu ao ser atendido na unidade de saúde.
Ricardo Holanda de Paiva respondia a processo na Comarca de Almino Afonso, mas estava morando em Apodi, onde mantinha uma vida social normal. “Ele veio morar em Apodi para disfaçar suas atividades criminosas, pois em Apodi, era tido como cidadão de bem, e não despertava suspeita, inclusive sua esposa mantinha um salão de beleza”, comentou o capitão Inácio Brilhante.






Nenhum comentário:

Postar um comentário