quarta-feira, 23 de março de 2016

Chega ao RN empresário acusado de matar fisiculturista paulista em 2013


G1/RN
Chegou na tarde desta quarta-feira (23) ao Rio Grande do Norte, onde ficará preso enquanto aguarda julgamento, o empresário Alexandre Furtado Paes, de 41 anos. Detido no dia 30 de novembro do ano passado em Ibiúna, cidade da Grande São Paulo, ele é acusado de ter matado a própria mulher, a fisiculturista paulista Fabiana Caggiano, de 36 anos. A atleta morreu dia 2 de janeiro de 2013 após ficar cinco dias em coma. De acordo com as investigações, ela foi estrangulada no banheiro de um hotel em Natal, onde ficou hospedada com a família na época.
A chegada ao RN foi confirmada ao G1 pela assessoria de comunicação da Polícia Civil. O empresário, que é dono de uma academia de musculação em Osasco, estava preso no Centro de Detenção Provisória de Pinheiros III, em São Paulo. No RN, a Secretaria de Justiça e Cidadania ainda não determinou a unidade na qual ele ficará custodiado.
Preso por policiais do Deic (Departamento Estadual de investigações Criminais), Alexandre era procurado pelo Justiça potiguar fazia três anos. Ele é acusado por homicídio qualificado (motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de a vítima se defender) e também responde ao agravante de ter modificado a cena do crime. Na época da morte da fisiculturista, o empresário negou o crime, alegando que a mulher havia tido um mal súbito durante o banho. E, ao cair, teria batido a cabeça e quebrado o pescoço. Porém, exames periciais realizados no corpo de Fabiana indicaram que ela foi morta por asfixia mecânica (estrangulamento).
Relembre o caso
Segundo o próprio Alexandre Paes, na manhã de 28 de dezembro de 2012, a mulher estava tomando banho quando ela teria sofrido uma queda repentina dentro do banheiro de um hotel na Zona Leste de Natal. O Samu foi acionado e já encontrou a paulista desacordada. No dia 2 de janeiro de 2013, no entanto, a fisiculturista morreu na UTI de um hospital particular da cidade.
Familiares disseram que Fabiana, enquanto esteve internada, permaneceu o tempo todo em coma induzido. Em razão da suposta queda, o corpo da atleta foi removido para necropsia no Instituto Técnico-Científico de Polícia do RN (Itep). Laudos preliminares revelaram que a vítima havia sofrido asfixia mecânica, com características de estrangulamento.
No dia 23 de janeiro de 2013, após a conclusão dos laudos realizados pelo Itep, o delegado Frank Albuquerque confirmou que a fisiculturista havia sido assassinada. “As suspeitas foram confirmadas. Exames toxicológicos deram negativos. No entanto, os laudos complementares realmente apontam que Fabiana foi vítima de asfixia mecânica (estrangulamento)”, afirmou.
O empresário Alexandre Furtado Paes, que possui uma academia de musculação na cidade de Osasco, em São Paulo, tornou-se réu no processo no início de março de 2013, quando o juiz Ricardo Procópio, titular da 3ª Vara Criminal de Natal, acatou denúncia do Ministério Público. O viúvo teve a prisão temporária decretada em 25 de janeiro de 2013, e desde então era considerado foragido.








Nenhum comentário:

Postar um comentário